07/12/2017

Biscoitos de Especiarias


Esta é a deliciosa receita das Gingerbread Men Cookies. Estes biscoitos são crocantes, têm um sabor maravilhoso e um aroma intenso das especiarias. Aviso que são viciantes. 
Vamos lá à receita.

Os ingredientes:
  • 10 colheres de sopa (140g) de manteiga sem sal, à temperatura ambiente
  • 3/4 chávena (150g) de açúcar mascavado
  • 2/3 chávena (200g) de melaço
  • 2 ovos
  • 1 colher de chá de essência de baunilha
  • 3 chávenas e meia de farinha de trigo
  • 1 colher de chá de bicarbonato de sódio
  • 1 colher de chá de fermento
  • 1/2 colher de chá de sal
  • 1 colher de sopa de gengibre em pó
  • 1 colher de sopa de canela em pó
  • 1 colher de chá de cravinho em pó
  • 1 colher de chá de erva doce em pó
  • 1 colher de chá de noz-moscada em pó
  • 1/2 colher de chá de pimenta preta moída
Os passos:
  1. Numa tigela, bater a manteiga, por um minuto (com batedeira ou vara de arames). Adicionar o açúcar e o melaço e bater até ficar uma mistura mais homogénea e um pouco cremosa. Acrescentar os ovos (batemos os dois ovos antes e adicionei) e o extrato de baunilha.
  2. Noutra tigela, deitar a farinha, o bicabornato de sódio, o fermento, o sal, e todas as especiarias. Misturar bem.
  3. Aos poucos, peneirar e envolver bem os ingredientes secos na mistura líquida. A massa começa a ficar mais densa e pegajosa. Para trabalhar um pouco a massa com as mãos, é melhor deitar mais farinha, porque vai sempre pegar às mãos.
  4. Dividir a massa em duas partes e formar dois discos (ou mais partes/discos). Embrulhar cada disco em película de plástico. Levar a descansar no frigorífico durante 2 horas (pode ficar mais tempo).
  5. Pré-aquecer o forno a 180º.
  6. Enfarinhar generosamente a superfície de trabalho. Como a massa é pegajosa, vai ser necessária bastante farinha. Estender um disco de massa e usar as forminhas/cortadores de natal.
  7. Colocar a massa já cortada, sobre uma folha de papel vegetal no tabuleiro. Levar ao forno por 9-10 minutos. Ter muita atenção a este momento, porque é fácil queimar nas extremidades ou ficarem muito duros. É melhor estar atenta a partir dos 8 minutos. 
  8. Retirar do forno, deixar arrefecer...❤
Segredinhos:
Podes usar mel em vez do melaço. Gosto mais com o sabor e com a cor que o melaço dá aos biscoitos. Ficam mais escuros de que com mel. Mas, com mel também ficam muito bons. 
Se gostares de aromas intenso, podes aumentar a quantidade das especiarias. Foi o que fizemos!😃
A pimenta dá um leve toque, mas é opcional.
Dividir a massa em discos (e não em formato bola) é importante, porque é mais fácil para a massa descansar e incorporar quando tem menos volume. 
Não ter medo de acrescentar farinha, se a massa estiver  pegajosa ou um pouco mole. Enfarinhar bastante a superfície de estender a massa, as mãos e o rolo. A farinha no final, sai toda.
Se tiveres pequenas mãos a ajudar, a farinha fica espalhado por todo o lado...💚😋😊










Na noite de 5 de Dezembro, deixamos alguns biscoitos para o S. Nicolau. Acho que ele gostou muito!

Não consegui tirar fotos ao processo todo. Mas se tiverem alguma dúvida é só dizer/escrever. Estes biscoitos são fáceis de fazer - se eu consegui, acredita que tu também consegues. 

Divirtam-se a fazer este programa em família. É mágico!

28/11/2017

Celebrar o Advento


O Advento é um período do ano muito simbólico e inicia-se quatro domingos antes do dia de Natal. Abordagem religiosa à parte, podemos usufruir deste tempo com as crianças, de uma forma muito intimista e calorosa.
Temos em ideia, uma série de iniciativas, para celebrar em família. Este blogue é essencialmente disso que trata.💚💚
Ao longo do mês de Dezembro, vamos fazer:
  • Postais de Natal;
  • Bolachas;
  • a Coroa do Advento; 
  • o Calendário do Advento; 
  • o Presépio;
  • a Árvore de Natal;
  • e mais alguma coisa, se houver tempo...
Começamos pela Coroa do Advento, feita com ramos de cipreste. No interior do círculo, juntamos quatro velas, nas cores azul, verde, amarela e vermelha.
  1. Na primeira semana do Advento, será acesa a vela de cor AzulRepresenta o Reino Mineral.
  2. Na segunda semana serão acesas a vela Azul novamente e a Verde. Representa o Reino Vegetal.
  3. Na terceira semana serão acesas as velas de cor Azul, a Verde e a Amarela. Representa o Reino Animal.
  4. Na quarta semana e até o dia 25 de Dezembro, serão acesas as velas Azul, Verde, Amarela e Vermelha, que representa o Reino Humano. Este momento, simboliza a chegada da Luz, através no nascimento de uma criança.

Em simultâneo ao momento de acender as velas, vamos construindo o Presépio:
🔯Com a luz do Reino Mineral, colocamos o céu (por exemplo, tecido azul na base), a terra, as pedras...
🔯Com o luz do Reino Vegetal, acrescentamos o musgo e montamos a Árvore de Natal.
🔯Com a luz do Reino Animal, colocamos as ovelhas, as vacas, o burrinho.
🔯Com a luz do Reino Humano, Maria, José e os Pastores presépio. E no dia 24 chega Jesus.
Todos estes momentos estão carregados de mensagens simbólicas. É muito intenso viver estas passagens com as crianças. 
A 6 de Dezembro, celebra-se o dia de São Nicolau. Contam as lendas sobre a sua bondade e de como distribuía bens aos pobres e presentes às crianças. Vamos contar e dramatizar esta  lenda - no dia 5 de Dezembro coloca-se um sapatinho ou uma meia junto da árvore de natal e deixa-se água para o cavalo de São Nicolau. Na manhã seguinte, as crianças encontram algo no sapatinho e a água desapareceu…
Outra história mágica é a do Pinheiro que é a Árvore de Natal:
Quando o Menino Jesus nasceu, todas as pessoas ficaram alegres, iam vê-lo e ofereciam presentes. Os animais e as plantas também estavam felizes. Perto do estábulo onde dormia Jesus, existiam três árvores - uma palmeira, uma oliveira e um pinheiro. As três árvores quiseram também oferecer alguma coisa.
A Palmeira disse:
-“Eu darei a minha palma maior, a mais bela, para que a Mãe abane docemente a criança."
A Oliveira que estava carregada de frutos disse:
- “E eu oferecerei os meus frutos, azeitonas!”
O Pinheiro perguntou:
- “E eu? Que posso dar?" 
- "Tu" - responderam as outras.
- "Tu não tens nada para dar. As tuas pontas agudas podem picar a criança"
O Pinheiro sentiu-se muito infeliz e respondeu tristemente:
- "É mesmo, vocês têm razão, não tenho nada para oferecer. Todos trouxeram presentes para esta Criança! Só eu não tenho como alegrar a Criança."
Um anjo, que estava ali perto, escutou a conversa e teve pena do pinheiro tão humilde, tão triste por nada poder fazer. Então disse ao pinheiro:
- "Não fiques triste enquanto todos estão alegres. Vamos ajudar-te!"
Lá no céu, as estrelas começaram a brilhar. O lindo anjo olhou para o alto e chamou-as. No mesmo instante elas desceram e foram pousando delicadamente nos ramos verdes do modesto pinheiro que se foi iluminando e ficando cada vez mais bonito.
Todos se admiraram, e voltaram-se para ele. Dentro do estábulo, na manjedoura, os olhos de Jesus encheram-se de brilho e alegria ao ver aquela árvore tão linda! 

E foi assim que, o simples pinheiro se tornou a Árvore do Natal. É por isso que as pessoas, até hoje, enfeitam o pinheiro, com luzes e estrelas!

(quando guardei esta história não registei a sua fonte, pelo que não sei a sua referência bibliográfica)
Ao longo do mês, vou publicar as fotos que vamos tirando, para registar estas memórias. Acompanhem-nos nesta caminhada de Luz. Estamos no blogue, no facebook e no Instagram.

Podem ver mais ideias para o Natal aqui e aqui.

PS: Algumas pessoas perguntam se estas histórias são Montessori. ;) Não, não são. Os Pinheiros não falam... 

21/11/2017

20 de Novembro | Declaração Universal dos Direitos da Criança


Foi o conflito da Segunda Guerra Mundial (1939 a 1945), que esteve na origem da celebração do Dia Mundial da Criança. Após esta guerra, com a Europa destruída, a Organização das Nações Unidas começa a reconstrução social e humanitária e a proteção das crianças, com a criação de instituições como a UNICEF. Apesar desta iniciativa, nem todos os países do mundo estavam interessados em respeitar os direitos da criança. Foi então que, em 1950, a Federação Democrática Internacional das Mulheres propôs à ONU que se criasse um dia dedicado às crianças de todo o mundo.
Era a génese do Dia Mundial da Criança, que começou a ser celebrado em 1950. Passados nove anos, a 20 de Novembro de 1959 foi aprovada a Declaração Universal dos Direitos da Criança. Os direitos das crianças passaram para o papel através de dez princípios:
1 - À igualdade, sem distinção de raça, religião ou nacionalidade.
2 - Direito a especial proteção para o seu desenvolvimento físico, mental e social.
3 - Direito a um nome e a uma nacionalidade.
4 - Direito a alimentação, moradia e assistência médica adequadas para a criança e a mãe.
5 - Direito a educação e a cuidados especiais para a criança física ou mentalmente deficiente.
6 - Direito ao amor e à compreensão por parte dos pais e da sociedade.
7 - Direito a educação gratuita e ao lazer infantil.
8 - Direito a ser socorrido em primeiro lugar, em caso de catástrofes.
9 - Direito a ser protegido contra o abandono e a exploração no trabalho.
10 - Direito a crescer dentro de um espírito de solidariedade, compreensão, amizade e justiça entre os povos.

Em 2017 muitos destes princípios ainda são totalmente ignorados, até nas coisas mais básicas. O mundo tecnológico evoluiu a um ritmo imparável, mas o mesmo não se pode dizer sobre a o respeito à Criança. Ainda há muito por fazer. Em Portugal, por exemplo - como andam as políticas educativas e as políticas de apoio à família? 


Fonte: http://www.dge.mec.pt/noticias/educacao-para-cidadania/dia-universal-dos-direitos-da-crianca-20-de-novembro
Declaração Universal dos Direitos da Criança(1959)
Convenção sobre os Direitos da Criança(1989)

Celebrar a Vida | 5 anos


E a Terra girou, uma vez mais, em volta do Sol. Mais um ano de vida se completou. Voltamos a celebrar a vida. O ritual está todo explicado aqui. Preparamos os convites, a coroa, a bandeirinha para enfeitar o bolo, o anel de aniversário e a decoração com as inserções geométricas. Contamos os dias com as contas e de forma concreta chegamos ao número do dia de aniversário. Este ano adicionamos mais letras do alfabeto - Feliz Aniversário - já são muitas letras novas! Conversamos sobre a Vida na Terra e como fazemos parte deste Universo. À festa, juntamos a celebração em roda, em volta da Sol.






















15/11/2017

Montessori (im)possível | Corner of Hope


Quando encontrei esta página www.facebook.com/cornerofhopeami senti de imediato o apelo a partilhar. Não são necessárias palavras para explicar estas imagens. Elas valem por mil palavras. 

Digam que Montessori é moda, que é apenas para escolas de elite, que é só para ser usada em contexto escolar... Vá, encontrem mais desculpas para justificar a falta de interesse em aplicar este método e possibilitar às crianças o melhor para elas. 

É mais simples imprimir desenhos da internet para as crianças pintarem dias a fio, ou fazerem atividades dirigidas por adultos, onde a criança só tem a possibilidade de pintar com a ponta do dedo, no sítio exato que o adulto indica.

Apreciem as fotos. São todas da página que mencionei acima. 

Onde estão as decorações lindas, de revista? Onde estão os adereços para as fotos? Onde está aquele quadro de parede xpto para ficar giro? Pois... é desconcertante.






10/11/2017

Superior a 10 | Montessori


(...) por que haveríamos de contentar-nos com ir até ao nove, que é bem pouco?
Maria Montessori, Pedagogia Científica


De Sensorial a Matemática | Montessori


E quando elas chegarem à aritmética e à geometria (...), retomarão os blocos da sua primeira infância (...), aplicando-lhes a ciência dos números.
Maria Montessori, Pedagogia Científica 



A Repetição | Montessori




Parece uma caixa de pesos.  Cada cilindro é diferente. O local ideal para trabalhar este material é no chão. E é lindo!


A repetição do exercício é uma necessidade, pois aguçará o espírito de observação da criança, irá regular e orientar a sua atenção; conduzida sistematicamente, essa repetição provocará um raciocínio que se dá conta do erro e o corrige; a repetição, por sua vez, possibilita um exercício constante e profundo.
                                                      Maria Montessori, Pedagogia Científica


Sugestões de leitura


E que tal aproveitar esta oportunidade, para oferecer um destes livros, no Natal?
Podes saber mais sobre os livros Educar com o Coração - Pedagogia Montessori em Casa, nesta resenha e Parentalidade Positiva aqui.
Os preços nas imagens já estão com 10% de desconto e os envios são gratuitos. OH...OH...OH...
É só enviar uma mensagem pelo https://www.facebook.com/taquidblog. 💜 
Estas ofertas são possibilitadas pela editora Verso de Kapa, a quem agradeço esta oportunidade.




09/11/2017

A Luz que nos guia | As Lanternas


Amanhã, ao anoitecer, vamos caminhar à luz das lanternas. A pequena chama da lanterna é o símbolo da nossa luz interior que nos guia no meio da escuridão. Explico toda a história neste texto

E que a luz nos ilumine sempre e aqueça as nossas almas.💚

Durante os últimos dias, estivemos concentradas a preparar novas lanternas. Usamos aguarelas, mas as purpurinas e os pompons têm de marcar a sua presença! Para já as lanternas ainda são muito simples, com os anos vamos melhorando. Usamos papel para aguarela e papel de seda colorido. Outra ideia é utilizar frascos de vidros pintados ou com colagens. 
Ao mesmo tempo, vamos cantando as canções da caminhada. (clicar para ouvir)

P'ra iluminar a escuridão
Vou caminhar aqui na Terra
E vou cantar essa canção
Eu Vou convidar cada criança
A cantar com a voz e o coração
P'ra trazer de volta a esperança
E acender a luz do coração









Eu vou com a minha lanterna,
Lanterna comigo vai,
No céu brilham as estrelas
Na terra brilhamos nós.
A luz se apagou,
P´ra casa eu vou,
Com a minha lanterna na mão

(versão "a luz se acendeu")

a caminhada de 2016


fonte: waldorfinfiji.files.wordpress.com



11/09/2017

Parentalidade Positiva | Livro


Os pais são o espelho sempre continuado da vida dos filhos. O olhar de confirmação que eles procuram, a fonte diariamente reforçada de um amor-próprio que circula como seiva para além de qualquer pergunta, acima de qualquer resposta, e alimenta os ramos, as folhas, mais tarde as flores. E os filhos são a imagem do que, em cada momento das suas vidas, os pais lhes puderam ou quiseram dar, a expressão mais visível de um jardim parental. Pedro Strecht
A parentalidade é um caminho de auto-conhecimento. Buscamos o melhor de nós. Não existem fórmulas. Não temos sempre as respostas. É neste trajecto que, a leitura de um livro pode fazer a diferença. Um livro é sempre um bom companheiro de viagem. 

O livro Parentalidade Positiva, de Pedro Strecht, publicado pela editora Verso de Kapa, é uma excelente leitura para quem deseja melhorar a sua relação com as crianças. Através de alguns exemplos da sua experiência pessoal e clínica, a análise da mensagem torna-se mais clara e por isso mais directa.
Numa escrita cativante e serena, em cada página, o autor oferece-nos um espaço para reflexão. Ao estilo de escrita narrativa e fluída, o autor aborda temas essenciais, que nos preocupam enquanto pais e educadores. Desde a comunicação entre pais e filhos, novas tecnologias, birras, castigos, hiperactividade, sono, à separação, divórcio e novas famílias, pelas cento e trinta e cinco páginas, encontramos vinte capítulos:
  1. Relativizar os problemas
  2.  A construção da autoestima
  3.  Reforçar positivamente
  4.  Comunicação entre pais e filhos
  5.  A gestão do tempo no dia a dia
  6.  Da dependência à autonomia
  7.  A importância do sono
  8.  Alimentação na infância
  9.  Regras e limites
  10.  Birras, oposição, castigos
  11.  Brincar é fundamental
  12.  A criança e os media
  13.  O peso das novas tecnologias
  14.  Mente sã em corpo são
  15.  Hiperatividade e défice de atenção
  16.  Escola e aprendizagem escolar
  17.  Sobre a utilidade da Expressão Artística
  18.  Separação, divórcio e novas famílias
  19.  A criança perante a doença e a morte
  20. Trauma na infância

Ainda hoje, em pleno parque infantil, assisti a uma cena miserável: um adulto que violentamente deu um puxão de orelhas, a uma criança de pouco mais de quatro anos. Não é episódio único. Não há razão alguma, para justificar este tipo de agressão. Estes adultos precisam de ler este e outros livros sobre educação. Por isso, saliento a frase na imagem anterior, que faz parte do capítulo dez, das birras, oposição e castigos. A sociedade em geral precisa de evoluir nesta questão, pois é demasiado comum. 
Avançamos muitíssimo em milhares e milhares de anos de civilização mas, mesmo assim, é espantoso acreditar que só as últimas décadas trouxeram uma noção bem definida de protecção à infância, de direitos dos mais novos e de necessidade de suporte a quem se torna pai ou mãe. Pedro Strecht

BOAS NOTÍCIAS
A editora Verso de Kapa vai oferecer dez exemplares deste livro, a quem também comprar o livro Educar com o Coração - Pedagogia Montessori em Casa
Para mais detalhes acompanhem o facebook do Taquid. 
Grata. 💚

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...