02/06/2017

Preparar atividades inspiradas no Método Montessori



A Tânia Correia do blog 3m's tinha uma dúvida: "Ouvimos falar sobre este método, por vezes tentamos aplicar algumas actividades que vemos aqui ou acolá, no entanto poucos são os que conhecem verdadeiramente o que lhe está subjacente. Não me faz sentido aplicar algo só porque me dizem que é “giro e bom”, importa perceber quais são os seus princípios/linhas orientadoras...". Esta questão faz muito sentido, porque recebemos muita informação sobre atividades e ficamos confusas. Afinal, como nos podemos inspirar no método montessori para organizar atividades? Escrevi um texto para o blog 3m's, na tentativa de esclarecer esta questão. Partilho aqui também:


"The first aim of the prepared environment is, as far as it is possible, to render the growing child independent of the adult"  The Secret of Childhood, Maria Montessori


A educação Montessori está orientada para despertar o interesse e permitir à criança uma aprendizagem significativa. É um sistema baseado na escolha de algo em que a criança demonstra interesse. Este interesse natural conduz a uma motivação interior que desenvolve a atenção e a concentração.

A autonomia da criança é a chave para a sua escolha livre. Esta liberdade de escolher o seu próprio trabalho atende à necessidade e à vontade da criança.
Para quem está a iniciar os estudos ou a aplicação do método, pode sentir-se confuso sobre como organizar os materiais e as atividades. Quando planeamos e organizamos materiais (num ambiente preparado) ou atividades, devemos sempre pensar em algumas caraterísticas:

- Sentidos. Os sentidos são agentes de absorção de conceitos. A aprendizagem sensorial assume muita importância em todo o método.

- Ritmo. A criança tem o seu próprio ritmo. Respeitar. Nem sempre a criança consegue desenvolver a atividade a 100%, especialmente das primeiras vezes. Se não conseguiu ou não mostrou interesse, não tem importância.

- Mãos. O órgão que está ao serviço da mente é a mão.

- Erro. Em caso de erro o material deve dar essa resposta, deve ter controle de erro.

- Silêncio. A criança precisa de se focar no material e não nas nossas palavras. Devemos usar o menor número de palavras possíveis

- Organização. É habitual organizar os materiais em tabuleiros. Primeiro, para organizar tudo o que é necessário e dessa forma evitar movimentos e distrações em busca do que falta. Segundo, porque fica tudo preparado na estante de atividades, permanecendo disponível para a criança. Terceiro, fica tudo arrumado no final, no sítio indicado.

- Real. Dentro do possível oferecer à criança materiais e atividades com elementos reais ou naturais. O trabalho torna-se muito mais rico.

- Beleza. O Belo inspira o interesse. Objetos e atividades que encantem a criança tornam-se mais atrativos.

Na hora de preparar os materiais, estas regras básicas, são uma grande ajuda. É essencial observar muito bem. Com a observação conhecemos cada vez melhor a criança e dessa forma cresce a empatia pelas suas necessidades de desenvolvimento. Melhora também, o respeito pelo seu tempo, o respeito pela sua personalidade.

Para a criança não interessa o fim, mas sim o processo. Por isso o conceito de resultado final é muito alargado e vai mudando consoante a idade. Quando a criança trabalha de forma concentrada nas atividades, sente uma grande satisfação.  Este sentimento de conquista conduz a criança numa aprendizagem de descoberta. 

Talvez esta informação ajude na hora de escolher e preparar uma atividade. 
Espreita o blog 3m's, um cantinho cheio de amor!

2 comentários:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...