01/09/2017

Nature Smart


A Inteligência Naturalista identificada por Howard Gardner, na sua teoria sobre as Inteligências Múltiplas, verifica-se no interesse e compreensão pela natureza. Existe uma sensibilidade da pessoa para a descoberta dos elementos da natureza, da sua variedade e das suas características. Nature Smart é um termo mais informal utilizado para esta inteligência. Ser Nature Smart é algo que podemos sempre desenvolver ao longo da vida. 
A criança é por "natureza" Nature Smart. Mas, o ritmo de vida de hoje está a anular esta inteligência. O número de horas que as crianças passam em circuitos fechados é demasiado elevado. E não está, de forma alguma, em equilíbrio com o número de horas passado ao ar livre. 
A natureza é uma das primeiras janelas de curiosidade da criança e é, certamente, a janela que pode ajudar a recuperar o significado a quem a perdeu. Catherine L'Ecuyer, Educar na Curiosidade

Um ambiente rico e aberto apresenta continuamente escolhas à criança. Constrói-se uma ligação criativa e fluída. Um ambiente rígido, confinado, limita o desenvolvimento. Um ambiente que não promove o trabalho autónomo, a ligação do mundo interior ao mundo exterior da criança, não lhe permite desenvolver os sentidos. A criança aprende através dos sentidos.



Um educação rica em experiências, no mundo natural,  ensina através dos sentidos. Richard Louv, Last Child in the Woods

Quando a criança está num espaço natural, a natureza fornece-lhe todos os brinquedos que precisa. As bolotas transforma-se em pessoas. Formam uma família e a fenda da árvore é a sua casa. As flores e as ervas enfeitam o jardim. Com os pauzinhos construímos o caminho até à casa...



Earth who gives to us this food
Sun who makes it ripe and good
Dear earth, dear Sun, by you we live
Our loving thanks to you we give
(Poema Pedagogia Waldorf)

Este poema é tão sensível e inspirador. Sentar no jardim e agradecer por tanta beleza natural,  é um exercício maravilhoso para fazer com as crianças. Aprender a estar grato é essencial para valorizar o que nos rodeia. As crianças adoram os bichinhos, adoram os pauzinhos que encontram nas suas caminhadas. Por isso, eles conseguem bem entender o que é estar grato pela natureza.




Às vezes também levamos materiais de pintura para o parque. Pintamos, por exemplo, árvores. Colhemos folhas, galhos, fazemos poção mágica de erva...

Levemos a criança ao ar livre, para lhe mostrar as coisas reais em vez de fazer objetos que representam ideias e que se fecham em armários. Maria Montessori, From Childood to Adolescence



As saídas ao exterior, cujo objectivo não sejam puramente (...) uma questão de saúde, nem uma necessidade prática, mas que se tornem numa experiência viva, irão tornar a criança consciente da realidade. Maria Montessori, From Childhood to Adolescence















4 comentários:

  1. A natureza é tão rica e provoca-nos tanto, é tão bom! Tenho que começar a levar também os amteriais de pintura para criarem "in loco" :)

    ResponderEliminar
  2. Por cá j levamos os lápis para desenhar.... mas nunca levei as tintas.... agora no outono vou tratar disso!
    Beijinhos da costa alentejana!

    ResponderEliminar

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...